Posts

Prefeitura diz que Florianópolis deve receber navio de cruzeiro em março

A prefeitura de Florianópolis divulgou nesta segunda-feira (26) que um navio de cruzeiro passará pela cidade em 24 de março. Um estudo de viabilidade para o recebimento de cruzeiros no município já havia sido apresentado em novembro pelo poder público municipal.

Conforme o prefeito Gean Loureiro (PMDB), a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) autorizou a passagem do navio em escala de testes, após reunião em Brasília nesta segunda. A Antaq ainda não se posicionou ao G1sobre o assunto.

De acordo com a prefeitura, a embarcação em questão é da MSC Cruzeiros e deve parar em Canasvieiras, no Norte da Ilha. O prefeito diz que a chegada vai acontecer durante a programação de aniversário da cidade, que é dia 23 de março.

“Isso estimula o turismo, desenvolve a cidade e, com isso, os próximos anos esperamos ter mais cruzeiros, mais desenvolvimentos e um turismo cada vez mais forte”, disse o prefeito em vídeo divulgado nesta segunda.

Estudo sobre a viabilidade de cruzeiros

Também foi anexada uma autorização da Marinha para uma escala teste de transatlântico.

Na época, a administração municipal disse que a Capitania dos Portos de Santa Catarina havia autorizado o procedimento, mas faltava a autorização da Antaq para realizar a primeira escala teste.

Fonte: G1

Reino Unido envia navio de fibra de vidro para escoltar submarinos russos

O Reino Unido teve que enviar uma embarcação caça-minas de fibra de vidro para escoltar submarinos russos e um navio auxiliar que passaram perto das águas britânicas, informa o jornal britânico Daily Mail, citando fontes no Ministério da Defesa do país.

De acordo com a mídia, em 2017, o Reino Unido enviou um navio de guerra ligeiro para escoltar submarinos russos devido à ocupação do resto da frota.

Vale destacar que, em geral, o Ministério da Defesa britânico informa sobre estes procedimentos, mas desta vez o incidente foi ocultado por medo de que viesse à tona a falta de navios no país.

Segundo sublinha o artigo do jornal, as missões de escolta são geralmente realizadas por um navio de patrulha, equipado com sistema antimísseis. No entanto, em agosto de ano passado Londres teve que recorrer a um navio caça-minas, construído em fibra de vidro.

Anteriormente, o chefe do Estado-Maior britânico reconheceu que as Forças Armadas russas superam as britânicas no que se diz respeito ao equipamento técnico-militar.

Fonte: Sputnik