Posts

Os três tipos de fibra de vidro usados na indústria de Fiberglass

Conheça os três tipos de fibra de vidro utilizados na indústritria fiberglass e suas características

A fibra de vidro ocupa a primeira posição na lista das matérias-primas utilizadas na indústria de Fiberglass. Afinal, sem ela, este mercado não existiria. Hoje, as fibras de vidro são amplamente utilizadas na fabricação de peças devido ao fato delas serem altamente resistentes, apresentarem boas propriedades, darem um ótimo acabamento superficial, serem baratas, tornarem as peças mais leves, entre muitas outras razões.

Elas estão disponíveis no mercado em várias formas diferentes. A escolha do tipo dependerá basicamente de dois fatores: o processo de fabricação que será utilizado (Spray-up, Hand Lay-up, RTM Light, etc) e as características e propriedades exigidas pela peça. No post de hoje, iremos falar sobre os três principais tipos de fibra de vidro utilizados na indústria de Fiberglass. Continue conosco e confira quais são eles a seguir:

1.Roving

O roving é a fibra de vidro utilizada no processo Spray-up (laminação a pistola). Ele é basicamente um cordão, formado por várias mechas de microfibras de vidro. No decorrer do processo de fabricação, esse cordão é desenrolado da bobina cilíndrica e picotado no interior da pistola laminadora. As mechas picotadas são, então, lançadas pela pistola sobre a superfície do molde juntamente com a resina.

Esse tipo de fibra de vidro é muito benéfico, pois as mechas picotadas se assentam facilmente ao molde, agilizam a impregnação da resina e descomplicam a remoção das bolhas de ar geradas no decorrer do processo. Além disso, as mechas do roving preenchem facilmente os cantos com ângulos de 15º, 45º e 60º, por exemplo. Isto torna o processo de fabricação muito mais fácil, rápido e, consequentemente, barato.

2.Manta

As mantas são arranjos aleatórios de fibra de vidro, cortadas de forma uniforme e agregadas na forma de um lençol por meio de ligantes. Elas são utilizadas no processo Handy Lay-up (laminação manual). Quando impregnadas com resina, a mantas apresentam praticamente as mesmas propriedades das mechas de roving picadas. Elas permitem um maior controle da espessura e possibilitam a fabricação de superfícies mais homogêneas.

No mercado, as mantas de fibra de vidro são disponibilizadas em diversas gramaturas. As mais comuns são de 225, 300, 450 e 600 g/m². As mantas de baixa gramatura são geralmente utilizadas em laminações sobre o Gel Coat por permitirem a rápida eliminação do ar. Já as de maior gramatura são mais utilizadas para aumentar a velocidade do processo de fabricação.

3.Tecido

Os tecidos de fibra de vidro são utilizados em peças que exigem altas propriedades mecânicas, principalmente, em relação à resistência aos impactos. Eles são obtidos por meio da tecelagem plana de rovings. Como as suas fibras são dispostas orientadamente, maiores resistências aos impactos são obtidas, quando elas são direcionadas para os principais pontos de tensão da peça.

Os tecidos são fornecidos em rolos, geralmente, nas gramaturas de 600 e 800 g/m2. Após o processo de laminação, cada camada de tecido de fibra de vidro apresenta uma espessura aproximada de 1mm. O teor de fibra depende, claro, da gramatura. Tecidos com 600 g/m2, por exemplo, possuem um teor de vidro médio de 50%, ideal para peças que necessitam de uma maior resistência.

Fonte:

SC Compósitos recebe 14 Toneladas de reposição de estoque

Empresa repõem estoque visando manter a política de entrega em curto prazo.

Mantendo a sua política de agilidade em suas entregas, na última quarta-feira (24), a SC Compósitos recebeu uma carga de de 14 toneladas de resinas para laminação em geral, utilizados por exemplo para tanques e caixas d´água além de resina própria para embarcação. Também repôs o seu estoque de Fio Roving 2400 4 o00, Manta 300 e 450 g  que são fibras de vidro utilizados juntamente com a resina de laminação para dar resistência e forma as peças. Também recebeu resina cristal, resina para infusão e catalisador.

Para mais informações entre contato através de nossos canais de atendimento, via chat on-line, formulário de contato ou através dos telefones: (48) 3093-1722 / 3286-9911.

Fonte: SC Compósitos

SC Compósitos recebe 19 Toneladas de Roving e Fibra de Vidro

Mantendo a sua política de agilidade em suas entregas, na última quarta-feira (29), a SC Compósitos recebeu uma carga de de 19 toneladas de resinas para laminação em geral, muito utilizado para barcos, tanques e caixas d´água. Também repôs o seu estoque de Fio Roving 2400 4 o00, Manta 300 e 450 g  que são fibras de vidro utilizados juntamente com a resina de laminação para dar resistência e forma as peças.

Para mais informações entre contato através de nossos canais de atendimento, via chat on-line, formulário de contato ou através dos telefones: (48) 3093-1722 / 3286-9911.

Fonte: SC Compósitos

Processo produtivo sem água? Sim, é possível!

A Trisoft, maior fabricante de itens com lã de PET da América Latina, provou que posicionamento é tudo. Enfrentou obstáculos e resistência do mercado para conseguir eliminar a água do processo produtivo. Com isso, só ganhou: um produto melhor para o consumidor, e melhor para o planeta, com selo verde da empresa. Agora, a Trisoft é exemplo para que outras empresas possam se preparar para o futuro.

Um produto reciclado e 100% reciclável e que é produzido sem uma gota de água há mais de 10 anos. A Trisoft, com a escolha de utilizar matéria prima reciclada e eliminar totalmente a água do processo produtivo, está na dianteira do mercado, promovendo mudanças de comportamento na indústria. Maurício Cohab, Diretor da empresa, conta que o começo de tudo foi em 1992: “nós começamos a importar uma matéria prima que vinha do Japão, na época por uma empresa americana, que permitia eliminar a resina do produto”. Maurício lembra que a resina impedia a total reciclagem do produto e prescindia da água como condutor: “o uso da água era apenas para diluir a resina e permitir que ela fosse aplicada no produto. Imediatamente após esse processo, a água tornava-se desnecessária, ou seja, ela não agregava nada ao produto, apenas era um veículo. Daí a ideia de retirá-la do processo, buscando alternativas”.

Outros obstáculos, além da dificuldade de importação da matéria prima, começaram a surgir: foi necessário fazer adaptações no maquinário e havia muita resistência por parte de alguns clientes, especialmente aqueles que ainda não tinham muita consciência ambiental: “existia também uma mudança na aparência do produto, que se tornava mais macio e menos armado. Foi preciso convencer, aos poucos, os clientes”, lembra Maurício. Mas ele enfatiza o posicionamento da empresa: “para não corrermos o risco de retroceder por conta dos clientes, modificamos o maquinário de uma forma que não havia volta. Foi uma decisão consciente e um risco, que logo se mostrou um ganho em qualidade e em processo”. A água foi sendo eliminada, linha após linha de produto, até, por volta de 2007, ser totalmente retirada de todo o processo produtivo da empresa.

Para Maurício, buscar alternativas é uma questão de se comprometer com o futuro – “não é necessário mudar tudo de uma só vez. Aqui, na Trisoft, o processo foi lento, fomos nos adaptando, e ainda hoje vemos outras empresas, com ações e gestão voltadas para o verde, para a sustentabilidade, que nos servem de inspiração”. Na questão da água, mais do que nunca, em tempos de escassez – Maurício esteve recentemente em Brasília e há uma preocupação visível e urgente – é preciso encontrar alternativas, que estão à mão, mas prescindem de um olhar apurado sobre a realidade ambiental. “Não podemos pensar no planeta e seus recursos como um guardanapo, que jogamos fora após o uso. É preciso que haja planejamento e coerência por parte do mercado”, reforça o diretor.

A Trisoft tem hoje produtos que podem ser usados em colchões, estofados, colchonetes, palmilhas, isolamento termo acústico em forros e paredes, próprios para o mercado de construção, automobilístico, moveleiro, pet, de moda, hotelaria, entre inúmeros outros, todos eles com uma produção limpa e sem utilização de água. A empresa acredita tanto na transformação que está realizando no mercado que criou, em 2016, um selo de qualidade, o Selo Trisoft, que traz o slogan: “Tem Trisoft, Melhor pro Planeta”, que atesta, no produto final, que ele foi construído com um produto reciclado e 100% reciclável.

Sobre a Trisoft

A Trisoft é a maior empresa da América Latina especializada em produção de mantas e distribuição de Fibras de poliéster. Sua lã de pet é reciclada e 100% reciclável, atendendo a demanda de logística reversa de produtos e sendo usada por mais de 25.000 empresas brasileiras. Há mais de 55 anos no mercado, com qualidade e responsabilidade sócio ambiental, a Trisoft atua em diferentes segmentos industriais com produtos non-wovens como mantas, fibras e feltros de poliéster.

Fonte: SEGS

Portfolio Items