Posts

Startup do Vale do Silício usa impressora 3D para fazer bicicleta de fibra de carbono

Após uma carreira que incluiu ajudar o Google a construir centrais de processamento de dados e a Amazon a entregar encomendas mais rápido aos clientes, Jim Miller está fazendo o que muitos executivos do Vale do Silício fazem depois de passarem por grandes empresas: andar de bicicleta.

Mas sua bicicleta é um pouco diferente. A Arevo, startup que conta com a empresa de investimentos da agência de espionagem dos Estados Unidos (CIA), da qual Miller assumiu o comando recentemente, tem produzido o que diz ser a primeira bicicleta de fibra de carbono do mundo que tem o quadro impresso em 3D.

A Arevo está usando a bicicleta para demonstrar sua tecnologia de impressão e software de design, que espera usar para produzir peças de bicicletas, aeronaves, veículos espaciais e outras aplicações em que os projetistas precisam de força e leveza da fibra de carbono, mas enfrentam o custo elevado de produção do material.

A Arevo levantou nesta quinta-feira (16) US$ 12,5 milhões em financiamento de risco de uma unidade das japonesas Asahi Glass e Sumitomo e da Leslie Ventures. Antes, a empresa tinha levantado US$ 7 milhões da Khosla Ventures, que também participou da rodada desta quinta-feira, e um valor não revelado da In-Q-Tel, empresa de investimentos apoiada pela CIA.

Bicicletas de fibra de carbono tradicionais são caras porque o material é produzido à mão por meio da adição intercalada de camadas de fibra e resina. O produto final então é colocado em um forno para derreter a resina e unir as camadas de fibra.

O processo quase não envolve participação humana, permitindo que a Arevo produzza quadros de bicicleta por US$ 300, mesmo no caro Vale do Silício.

“Estamos em linha com o que custa produzir um quadro na Ásia”, disse Miller. “Como o custo de trabalho é muito menor, podemos trazer de volta a produção dos compósitos.”

Miller afirmou que a Arevo está negociando com vários fabricantes de bicicletas, mas a companhia espera fornecer peças para a indústria aeroespacial. A tecnologia de impressão da Arevo pode ser montada em trilhos para a produção de peças maiores, o que evita a necessidade de grandes fornos para produzi-las pelo processo tradicional.

“Podemos imprimir o tamanho que quisermos, de fuselagem a asa de um avião”, disse Miller.

Fonte: G1

Kit de Fibra de Vidro e Nylon Syncros Matchbox Tailor HV 1.5 para Bike

O Syncros Matchbox Tailor Cage HV1.5 é um suporte de garrafinha pensado com a palavra “integração” em mente. O modelo é feito em Nylon e fibra de vidro, e é equipado com uma multi-ferramenta com 14 funções e também com uma mini-bomba de alto volume, possuindo diversas possibilidades de montagem para adaptação em diferentes quadros.

Foto 66584
A Syncros Matchbox Tailor Cage HV1.5 possui algumas funcionalidades bastante interessantes como a chave de corrente e o case que protege a multi-ferramenta contra água e lama, garantindo sua longevidade e facilidade de uso. Para completar, a chave ainda conta com uma chave de raios e até um segurador de corrente para facilitar a montagem.

Syncros Matchbox Tailor Cage HV1.5

A Bomba HV1.5 é um modelo para alto volume que conta com uma mangueira separada, facilitando o enchimento e prevenindo o empeno da válvula. Compatível com os bicos Schrader e presta, sua pressão máxima de enchimento em 80 psi.

A marca também conta com outros modelos de suporte integrado que possuem menos funcionalidades ou contam com bombas de alta pressão – mais adequada para pneus de estrada. É bom lembrar que os suportes possuem duas versões diferentes para quem prefere pegar a garrafa pela direita ou pela esquerda.

Ficha Técnica

Material: Fibra de vidro reforçada com Nylon
Chaves:
– Chave de corrente
– Duas chaves de raio
– Segurador de corrente,
– Chaves Torx T10 e T25
– Chaves Allen 2mm, 2.5mm, 3.5mm, 4mm, 5mm e 8mm
– Chave de fenda
– Chave philipps
Bomba: Syncros HV1.5 Mini-Pump de alto volume
Peso divulgado: 340g
Preço: 469,90

Para mais informações, acesse o site oficial da Syncros.

Fonte: Pedal

Entendendo – Tecnologias de quadros de carbono Sense

Há alguns anos, a Sense Bike, fabricante nacional de bicicletas, uniu forças com a Sul-Africana Swift Carbon para oferecer quadros de fibra de carbono de alta tecnologia, evitando assim o uso de quadros genéricos feitos na Ásia.

Entendendo a Fibra de Carbono

A tecnologia de fibra de carbono não é recente, porém ficou mais popular ultimamente em diversos produtos. Nem por isso, deixou de evoluir a cada ano.

De forma bastante resumida, o material é composto por dezenas de camadas de tecido (as fibras) coladas por uma resina. Porém, há tipos de fibras com propriedades diferentes, como peso e resistência. Pra completar, a quantidade de camadas e direção dessas fibras vai fazer diferença no produto final.

Foto 65652

Um quadro mais simples pode ter uma mesma fibra em toda sua construção, sem muito planejamento e preocupação com que áreas devem ter quantas camadas e em que direção. Será um quadro mais pesado e sem muita mudança no comportamento nas diferentes situações.

Já um quadro top de linha terá diferentes fibras em diferentes áreas, para oferecer conforto, resistência e baixo peso. Em alguns casos, as marcas chegam a mudar completamente o tipo e a forma das camadas de carbono de um mesmo quadro em seus diferentes tamanhos. Claro que para isso o projeto e construção são muito mais complexos e caros.

Os quadros ultra-leves que unem conforto e resistência suficientes para aguentar provas de nível mundial, são meticulosamente projetados. O processo vai envolver centenas de simulações de computador e alguns protótipos até que se chegue no resultado desejável. Esses projetos podem levar de 2 a 3 anos em alguns casos.

Como as marcas usam o carbono

O carbono virou o material da moda. Portanto, muitas marcas oferecem projetos mais simples apenas para atender a demanda. É possível ver quadros de carbono mais pesados do que alguns de alumínio. Enquanto isso, outras marcas vão pelo caminho oposto, buscando a maior qualidade possível.

Foto 65653

Para entender mais sobre esse assunto, conversamos com o gerente de marketing da Swift Carbon e responsável pelos quadros que equipam bikes como a Impact Carbon, a Invictus e Prologue da Sense.

Métodos de construção em carbono

Atualmente exitem três maneiras básicas de se fazer um quadro de carbono na Ásia: Molde Fechado, Molde Aberto e Molde Exclusivo.

Molde fechado – Trata-se da forma de produção mais barata e menos exclusiva. Basicamente é um quadro que não pode receber nenhum tipo de alteração, apenas sendo adesivado e pintado com diferentes cores para diferentes marcas de bicicleta.

Atualmente, este tipo de quadro pode facilmente ser encontrado a venda pela internet, sendo comercializados diretamente pelo fabricante ou em grandes sites de vendas de produtos do oriente. Com isso, é possível perceber a falta de exclusividade deste tipo de quadro, já que é possível para o consumidor comum ter exatamente o mesmo produto de uma marca, sendo a única diferença a pintura e os adesivos.

Alguns destes quadros tem a durabilidade comprovada, mas normalmente eles ficam abaixo dos modelos topo de linha quando o assunto é peso, desempenho e características de pilotagem.

Moldes abertos – Assim como o molde fechado, o quadro é projetado pela empresa que fabricará o modelo. Porém, neste caso, a marca de bicicleta pode alterar alguns detalhes como tipos de fibra e em alguns detalhes estéticos. Características estruturais e geometria, por outro lado, não podem ser modificados.

Foto 65653

Vale ressaltar que este tipo de quadro acaba diluindo o custo de produção básica entre várias marcas. Com isso, cada marca terá um modelo “exclusivo”, porém a diferença será mais cosmética do que estrutural.

Moldes exclusivos – Quadros feitos assim utilizam design e engenharia exclusivos, o que resulta na criação de um molde único para aquele modelo de bicicleta. No caso da Swift e da Sense, por exemplo, todo o projeto é feito dentro da própria Swift, sendo apenas a manufatura do quadro realizada em uma linha de montagem em uma planta na Ásia.

Foto 65655

Por não haver diluição de custos entre várias marcas, esta é a maneira mais cara de se fabricar um quadro na Ásia. Porém, assim como outras grandes marcas do mundo inteiro, este processo garante um produto muito mais exclusivo, com conforto, rigidez, aerodinâmica e características de pilotagem escolhidas a dedo por uma equipe de engenheiros.

Lembre-se que esse tipo de quadro nada tem a ver com os “OEMs” vendidos no mercado, que normalmente não passam de falsificações sem nenhuma garantia de procedência que apenas imitam esteticamente quadros de outras marcas.

Outros diferenciais dos quadros Sense e Swift

Além do método de construção, os quadros de fibra de carbono produzidos pela Swift para a Sense incorporam algumas tecnologias que merecem destaque.

Carbon Nano Tecnology – Os quadros incorporam nanotubos (macro partículas) em sua resina de fibra de carbono. Esta tecnologia oferece um quadro de alto padrão, mais leve, rígido e 20-30% mais resistente do que um de fibra de carbono convencional. Ao todo, são necessárias cerca de 48 pessoas e 25 dias de trabalho para produzir um quadro.

Fibras Toray – A japonesa Toray é um renomado fabricante de fibras de carbono de altíssima tecnologia. Os quadros da Sense e os da Swift utilizam uma combinação de diferentes fibras unidirecionais da marca em busca da combinação perfeita entre conforto e rigidez.

Conclusão

Embora quase todos os quadros de carbono sejam feitos na Ásia, suas características de construção e qualidade são bastante diferentes, indo do projeto inicial à construção final. A Sense optou por ter um molde exclusivo, trazendo um quadro com a melhor qualidade possível. Graças a parceria com a Swift Carbon, é possível ter um produto nacional com preço competitivo e qualidade comparada a marcas internacionais.

Fonte: Pedal

Deviate Guide chega com caixa de marchas Pinion de 12 velocidades

O sistema de transmissão é um dos pontos mais delicados de qualquer bicicleta. Afinal, um mecanismo preciso e complexo exposto aos duros elementos do esporte sempre estará suscetível a danos e sujeira. Por isso, não é de hoje que bicicletas equipadas com caixas de marcha são um objeto de desejo para muitos aficionados – infelizmente, este tipo de equipamento costuma ser pesado e caro, muito caro.

Lançada hoje no mercado, a Guide é a primeira bicicleta da Deviate Cycles, um pequeno fabricante escocês que já chegou fazendo barulho, com um desenho que une 160mm de curso na dianteira e traseira e um quadro projeta ao redor de uma caixa de marchas Pinion C-Line de 12 velocidades.

Pivô alto sem efeitos negativos

Segundo o fabricante, o uso de uma caixa de marcha tem a vantagem de manter a corrente sempre no mesmo lugar, facilitando o controle das forças que atuam sobre a suspensão traseira quando o ciclista pedala.

 

Foto 65944
Esta característica permitiu que a Deviate projetasse a Guide com um único pivô elevado, o que aumentaria a capacidade de absorver pequenas irregularidades. Um sistema que leva a corrente para junto do pivô evita movimentos indesejados da suspensão e aquele “chute” nos pedais comum em bikes de pivô alto.

Pesando 2100g, caixa possui uma amplitude de marcha de 600% com exatos 17.7% de diferença em cada marcha. Além disso, o modelo permite cambiar sem pedalar, mesmo com a bicicleta parada. O quadro é 100% feito em fibra de carbono e pesa 2784g, com rodas aro 27,5 e uma geometria relativamente relaxada – a caixa de direção tem 65.8 graus com 450mm de reach no tamanho médio.

Foto 65943

Ficha Técnica

Quadro: Em carbono high modulus com 160mm de curso
Rodas: 27.5? com pneus até 2.7”
Shock: Cane Creek DBAir CS or DBAir Inline shock
Caixa de marchas: Pinion C-Line 12spd Gearbox Drivetrain
Sistema de tensionador de corrente: Integrado
Bash guard: Integrado
Canote: 31.6mm com cabeamento interno

Mais informações no site oficial da Deviate Cycles.

Brasil Cycle Fair – Lançamentos Scott 2018

A Spark RC 900 World Cup é uma bike de cross-country com geometria e pintura idênticas a da bicicleta de Nino Schurter – diferindo da bicicleta do campeão mundial basicamente apenas no pacote de componentes. Já as mulheres que buscam o mesmo desempenho, a marca oferece a Contessa Spark RC 900. Confira mais detalhes no vídeo abaixo

Ficha Técnica – RC 900 World Cup

Quadro – Spark RC Carbon – IMP / HMX – Traseira de Carbono / Boost / 100mm de curso
Suspensão – Rock Shox SID RLC Air / Tapered / 100mm de curso
Amortecedor traseiro – Fox Nude Trunnion
Trava – TwinLoc Suspension
Câmbio traseiro – Sram XX1 / Eagle 12 Speed
Câmbio dianteiro – Guia de Corrente
Trocadores – Sram X01 Trigger
Freios – Sram Level TLM
Pedivela – Sram XX1 Eagle GXP / 32D
Guidão – Syncros FL1.0
Mesa – Syncros XR1.5 -8°
Canote – Syncros FL1.0 Carbon
Selin – Syncros XR1.5 / Titanium rails
Cassete – Sram X01 / XG1295 / 10-50 T
Rodas – DT Swiss X1825
Pneus – Maxxis Aspen / 2.25 / 120TPI Kevlar Bead
Peso aproximado – 10.3kg
Preço sugerido na data – R$ 49.900,00

Ficha Técnica – Contessa Spark RC 900

Quadro – Spark RC Carbon – IMP / HMX – Traseira de Carbono / Boost / 100mm de curso
Suspensão – Rock Shox SID RLC Air / Tapered / 100mm de curso
Amortecedor traseiro – Fox Nude Trunnion
Trava – TwinLoc Suspension
Câmbio traseiro – Sram X01 / Eagle 12 Speed
Câmbio dianteiro – Guia de Corrente
Trocadores – Sram X01 Trigger
Freios – Sram Level TL 180/D e 160/R
Pedivela – Sram X1 Carbon Eagle GXP 30d
Guidão – Syncros FL1.0
Mesa – Syncros XR1.5 -8°
Canote – Syncros FL1.0 Carbon
Selin – Syncros FL1.5 Women / Titanium rails
Cassete – Sram X01 / XG1295 / 10-50 T
Rodas – Syncros XR1.5 CL
Pneus – Maxxis Aspen / 2.25 / 120TPI Kevlar Bead
Peso aproximado – 10kg
Preço sugerido na data – R$ 41.999,90

Spark 900

Foto 64761

A Spark 900 é a trail bike com quadro de fibra de carbono e balança traseira de alumínio que você conheceu neste teste do Pedal feito na Suíça. O modelo conta com 120mm de curso tanto na dianteira quanto na traseira, apostando em uma suspensão FOX 34 Float Performance Elite Air e no amortecedor FOX Nude Evol Trunnion para controlar as irregularidades.

Com uma geometria mais “aberta”, com caixa de 67.2 ° e chainstay de 438mm, o modelo sobe e desce muito bem, aparentando ter mais curso do que realmente tem. A bike possui trava TwinLoc, freios Shimano XT, canote dropper e grupo SRAM Eagle.

Ficha Técnica

Quadro – Spark 3 Carbon / IMP technology / HMF com traseira de alumino SL 6011 e Boost
Suspensão dianteira – Fox 34 Float Performance Elite Air
Amortecedor traseiro – FOX Nude Evol Trunnion
Trava – TwinLoc Suspension
Câmbio traseiro – Sram X01 / Eagle 12 Speed
Trocador – Sram GX Trigger
Freios – Shimano XT M8000 c/ rotores de 180mm
Pedivela – Sram X1 Carbon Eagle GXP Boost
Guidão – Syncros FL1.5
Conote – FOX Transfer Dropper Remote
Selin – Syncros XR1.5 / Titanium rails
Rodas – Syncros XR1.5 CL D: 15x110mm, T: 12 x 148mm Boost
Cassete – Sram GX / XG1275 / 10-50 T
Pneus – Maxxis Forekaster / 2.35 / 120TPI
Peso Aproximado – 12.20kg
Preço sugerido na data – R$ 37.990,00

Genius 940

Foto 64762

Com 150mm tanto na dianteira como na traseira, a Genius 940 tem as principais características de uma bike de enduro e de terrenos mais técnicos. Segundo a Scott, trata-se de uma bicicleta para qualquer tipo de trilha graças ao uso do sistema TwinLoc, que possui três posições (open, traction e locked) atuando ao mesmo tempo na suspensão dianteira e no amortecedor.

O quadro é feito de alumínio SL 6011 e aceita pneus 29 de até 2.6” ou 27.5 até 2.8”. As trocas de marcha são feitas pelo câmbio traseiro Sram GX Eagle de 12 velocidades e o amortecimento fica por conta da suspensão dianteira Fox 34 Float Performance Air e do amortecedor Fox Float Evol. Apesar de não ser uma configuração de topo de gama, a bike pesa respeitáveis 14.3kg.

Ficha Técnica

Quadro – Genius Alloy SL 6011
Suspensão – Fox 34 Float Performance Air – 150mm de curso
Amortecedor traseiro – Fox Float EVOL Performace Trunnion – 150mm de curso
Trava – TwinLoc Suspension
Câmbio traseiro – Sram GX / Eagle 12 velocidades
Trocadores – Sram GX Trigger
Freios – Shimano MT500 c/ discos de 180mm
Pedivela – Sram X1 1000 32d
Guidão – Syncros FL2.0
Canote – Syncros Dropper 2.0
Rodas – Aros Syncros X-30S com cubos Formula boost
Cassete – Sram GX / XG1275 / 10-50 T
Pneus – Schwalbe Nobby Nic 2.6 x 29
Peso Aproximado – 14.3kg

Mais informações no site da Scott.

Fonte: Pedal