Posts

Pesquisa apoiada pelo IPT estuda envelhecimento de compósitos

O uso de estruturas formadas pela combinação de dois materiais que resulta em um produto superior, os chamados compósitos, é fundamental na fabricação de produtos tão distintos como coletes à prova de balas, varas para provas de salto, pranchas de surf, pás de helicóptero e fuselagens de avião, entre outros.

Porém, muitas vezes o desempenho final dos compósitos pode ser prejudicado por defeitos de fabricação, e é justamente para impedir que isso aconteça que o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) fez uma parceria com a Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI).

O objetivo do estudo é solucionar problemas de envelhecimento da matéria-prima derivados da exposição à temperatura e à umidade durante o processamento. A aluna de doutorado em materiais para engenharia, Olivia de Andrade Raponi, da UNIFEI, avalia os efeitos disso em compósitos para monitoramento do fenômeno e otimização do processo produtivo.

Dentro do programa Novos Talentos, os estudos são realizados no Núcleo de Estruturas Leves, na cidade de São José dos Campos (SP), com duração prevista de quatro anos e foco na utilização de pré-impregnados – materiais compostos por fibras de reforço de polímero, produtos intermediários prontos para moldagem – como matéria-prima para a fabricação de compósitos.

A formação de porosidade é um dos defeitos mais comuns associados ao processamento de pré-impregnados. Por isso, os estudos buscam chegar a um conjunto de dados que permita compreender melhor a influência do envelhecimento da matéria-prima na formação deste tipo de defeito em materiais compósitos.

“O envelhecimento é um fenômeno intrínseco ao processo produtivo do material, que não tem como ser evitado. A ideia é controlar as propriedades e garantir que não haja desperdício de matéria-prima por meio de ajustes de parâmetros de processamento em função das propriedades do material envelhecido”, explica Olivia.

A pesquisadora ressalta a importância da parceria entre instituto e a universidade para o sucesso do projeto e evolução da indústria.

“Existem equipamentos aqui no laboratório que não estão disponíveis na universidade. Além disso, a coorientação é bastante importante, e o contato com outros pesquisadores permite uma troca de conhecimentos que acrescenta muito ao trabalho, em especial se pensarmos que, em relação à universidade e ao mundo acadêmico, o IPT apresenta, na área em que estamos trabalhando, uma visão muito próxima das necessidades indústria”, finaliza.

 

Fonte: Sao Paulo

Iate com fibra de carbono 100% pura é lançado ao mercado brasileiro no São Paulo Boat Show

Azimut Yachts apresentou ontem, 21, a primeira embarcação de mais de 22,5 metros de comprimento construída no Brasil com estrutura em fibra de carbono 100% pura. O modelo Azimut 74 ficará em exposição até o dia 26 de setembro no São Paulo Expo, capital paulista

A primeira noite do São Paulo Boat Show foi marcada pelo lançamento de mais uma inovação da Azimut Yachts ao mercado náutico nacional. O evento de apresentação do iate Azimut 74, o mais luxuoso e tecnológico da feira, contou com presença expressiva de clientes, convidados e autoridades de diversas regiões do país. A embarcação de mais de 22,5 metros de comprimento, que faz parte da renovação da frota produzida na filial brasileira, surpreendeu os visitantes não apenas por utilizar em parte de sua estrutura o mesmo material dos carros de Fórmula 1, mas também pelo aumento considerável das áreas externas e internas, pelo design desenvolvido por consagrado arquiteto mundial, pelos luxuosos acabamentos e mobiliário. A embarcação tem uma área de 225 m² dividida em 3 pavimentos.

“Através de nosso Centro de Pesquisas e Desenvolvimento na Itália, onde mais de 20 engenheiros trabalham exclusivamente com foco em inovações, apresentamos um marco para o mercado náutico brasileiro. Trata-se da aplicação da fibra de carbono 100% pura em grande parte da superestrutura da Azimut 74. Isso significa leveza, mais luxo e conforto, acabamento impecável, maior estabilidade, navegabilidade e mais espaço a bordo”, explicou o CEO da Azimut Yachts no Brasil Davide Breviglieri.

“Investimentos constantes em programas e inovações tecnológicas pelo Grupo Azimut-Benetti ultrapassaram 500 milhões de euros, com recursos próprios. Nos próximos 3 anos, a expectativa é de mais investimentos de cerca de 100 milhões de euros em desenvolvimento de novos produtos e implementação de processos tecnológicos. Isso justifica nosso crescimento contínuo no mercado náutico mundial o que representa um aumento de 15% em valor de produção nesta temporada náutica (agosto de 2016 a agosto de 2017) comparado com a anterior”, complementou.

“Seguimos em evolução e, por isso, renovamos nossa frota constantemente trazendo as mais modernas tecnologias combinadas com design único e muito conforto. Apresentamos hoje a Azimut 74 e já anunciamos a construção da Azimut 62. Em breve entregaremos as primeiras unidades da Azimut Grande 30 Metri no Brasil”, destacou o diretor comercial da Azimut Yachts do Brasil Francesco Caputo.

Azimut 74 – Tecnologia e Conforto

Além da tecnologia utilizada em sua estrutura, a Azimut 74 traz mais novidades. Entre elas, a possibilidade de escolher a posição da cozinha dentro da embarcação. Ela poderá ser projetada ao lado da praça de popa ou próxima ao posto de comando principal, conforme o desejo do proprietário. Outro destaque é o tamanho das janelas que agora contornam grande parte do pavimento principal, do chão ao teto, além de estarem inteiriças no pavimento inferior, na cabine do proprietário.

A decoração do interior segue a tendência náutica mundial com contrastes de cores claras com escuras aliadas aos acabamentos, aos eletrodomésticos e ao mobiliário de alto padrão italiano.

O São Paulo Boat Show segue até a próxima terça-feira, 26, e os visitantes poderão conhecer de perto a Azimut 74 assim como a super esportiva Verve 40 e a novíssima Azimut 56.

Azimut Yachts

Azimut Yachts é uma marca do Grupo italiano Azimut|Benetti com matriz na Itália, reconhecido pela 17ª vez pelo Global Order Book 2017 (publicado pela ShowBoats) como o maior produtor de iates de luxo do mundo. Opera em 70 países com uma rede de vendas de 138 escritórios. Além das fábricas localizadas na Itália, em 2010, inaugurou unidade de produção em território brasileiro, na cidade de Itajaí. Na unidade brasileira, fabrica embarcações de 40 a 95 pés.

Fonte: SEGS

Azimut Yachts levará três modelos de alto luxo e tecnologia ao São Paulo Boat Show 2017

Primeiro iate de grandes dimensões fabricado no Brasil com fibra de carbono 100% pura será lançado ao mercado na nesta quinta-feira, 21. Além do novo modelo de 74 pés (mais de 22,5 metros), o líder em produção de iates de luxo do mundo levará ao evento outras duas embarcações também produzidas em sua filial brasileira, a esportiva Verve 40 e a sofisticada Azimut 56

Na abertura da 20ª edição do São Paulo Boat Show, a Azimut Yachts surpreenderá os visitantes com o lançamento do mais luxuoso e tecnológico iate apresentado no salão náutico. O modelo Azimut 74, produzido na filial brasileira da marca chega ao mercado latino-americano e traz a mesma tecnologia dos carros de Fórmula 1 ao utilizar em parte da sua estrutura fibra de carbono 100% pura.

Também será possível conhecer em detalhes outros dois modelos produzidos em território nacional. É o caso da Verve 40 – modelo esportivo que é sucesso de vendas nos Estados Unidos e que já atravessou fronteiras com recentes encomendas aos Emirados Árabes. A Azimut 56 será mais um iate em exposição e deverá agradar aos navegadores que buscam por uma embarcação sofisticada, confortável e com áreas externas amplas como é o caso da sua grandiosa praça de popa, flybridge e solário de proa.

Conheça mais sobre os modelos já confirmados para o SP Boat Show

A Azimut 74, modelo com mais de 22,5 metros de comprimento fabricado pela unidade brasileira da Azimut Yachts, será a mais luxuosa e tecnológica embarcação do São Paulo Boat Show 2017. É o primeiro iate dessa dimensão produzido no Brasil que utiliza fibra de carbono 100% pura em parte da sua estrutura. Entre as vantagens do uso da tecnologia está a redução de 30% do peso total da embarcação além de melhorar a estabilidade, navegabilidade e proporcionar a ampliação de espaços e volumes. Sua área total aproximada chega a 225 m² e está dividida em 3 pavimentos, 4 suítes além de cozinha e sala de jantar e de estar totalmente decoradas e equipadas com o padrão italiano de excelência da marca. Os espaços externos tornam a navegação ainda mais prazerosa. Seu flybridge (pavimento superior) possui áreas de relaxamento, espaço gourmet e segundo posto de comando.

A Verve 40 veio para agradar ao público que deseja esportividade sem abrir mão do luxo e conforto. Durante o São Paulo Boat Show será possível conhecer em detalhes o primeiro iate com o conceito weekender do estaleiro que já é sucesso em vendas no mercado internacional. A Verve 40 é um convite para aproveitar ao máximo a vida a bordo e experiências ao ar livre. Sofisticação, design aberto e esportivo, áreas para lazer e relaxamento em seu exterior além de cabine para pernoite são alguns dos atrativos deste modelo. A alta performance é mais um destaque – é equipada com 3 motores de popa que podem superar 40 nós de velocidade.

Modelo recentemente lançado no Brasil, a Azimut 56 se diferencia pela ampla praça de popa da embarcação que, integrada ao salão do pavimento principal, permite uma área ainda maior de convivência. Em sua proa (parte frontal) há espaço para banhos de sol e relaxamento além de sofá para acomodar até 6 pessoas. Assim como os demais modelos da Azimut Yachts, a Azimut 56 surpreende pelo conforto das acomodações aliado aos móveis e revestimentos sofisticados italianos. Iluminação natural é mais um atrativo devido ao layout das grandes janelas laterais características da marca.

Azimut Yachts

Azimut Yachts é uma marca do Grupo italiano Azimut|Benetti com matriz na Itália, reconhecido pela 17ª vez pelo Global Order Book 2017 (publicado pela ShowBoats) como o maior produtor de iates de luxo do mundo. Opera em 70 países com uma rede de vendas de 138 escritórios. Além das fábricas localizadas na Itália, em 2010, inaugurou unidade de produção em território brasileiro, na cidade de Itajaí. Na unidade brasileira, fabrica embarcações de 40 a 95 pés.

Fonte: SEGS

Casa-barco feito de materiais compósitos navega na Ria de Aveiro

O conceito não é completamente novo, mas esta casa flutuante tem a particularidade de ser movida a energia solar.

É uma casa portuguesa, com certeza. Flutuante, móvel e amiga do ambiente, está a despertar curiosidade por onde passa, na Ria de Aveiro.

A Waterlily Boats, uma empresa de Vagos, desenvolveu e está a construir os primeiros modelos da sua casa barco inovadora.

“O conceito não é completamente novo, mas apostamos de forma diferente: numa embarcação modular, com diversos tamanhos, possível de personalizar, 100 por cento em material compósito, sem metal a não ser aço inox. Mais leve, robusta e, o que não é comum, navegável”, explica Ricardo Neta, responsável da empresa.

A casa flutuante, que passou nos “testes de mar” feitos em condições adversas, tem ainda a particularidade de ser movida a energia solar, com dois motores eléctricos.

O modelo que está a ser servir de cartão de visita tem sala, cozinha, casa de banho/duche e quarto “com uma cama de casal das maiores, com muita arrumação e condições a pensar no conforto”.

As janelas permitem 180 graus de vista para a água e tem solário.

A partir de 50 mil euros

A Waterlily já navega regularmente pela Ria de Aveiro e as primeiras encomendas estão a ser construídas para empresas turísticas que operam no Rio Douro e na Ria Formosa.

Esperam-se também contactos de particulares a quem é oferecida a possibilidade de alugarem a terceiros por alguns períodos do ano, permitindo ajudar a amortizar os investimentos.

“Desde que tenha 50 centímetros de água, podemos ir para todo o lado. Os 20 cavalos permitem 10 horas de autonomia, falamos de 40 quilómetros de alcance”, adiantou Ricardo Neta, jovem engenheiro mecânico que é especialista no desenvolvimento de plataformas em materiais compósitos.

Quem tiver uma casa flutuante deste tipo pode navegar sem problemas de uma marina para outro ponto, passar a noite num porto de abrigo a carregar e prosseguir a viagem para uma nova etapa do percurso que deseje fazer, rio acima ou rio abaixo.

Os painéis solares garantem independência energética e poluição zero, incluindo capacidade de tratamento de águas residuais. “Fazer 20 quilómetros é perfeitamente aceitável, além disso tem piloto automático”, acrescentou o promotor.

No primeiro teste a sério, a Waterlily navegou pela Ria de Aveiro enfrentando 60 quilómetros de ventos e corrente contra de 3,4 nós. É certo que demorou três horas a fazer um percurso de uma hora, “mas chegou perfeitamente e com muita bateria.”

O início da produção em escala está a gerar entusiasmo. “A afluência de clientes é interessante, pessoas que procuram um novo tipo de turismo, com boas expetativas de rentabilizar o custo. Em dois anos pagam uma embarcação de 70 mil euros”, conta Ricardo Neta.

Os modelos base com motorização eléctrica vendem-se a partir de 50 mil euros. Existem outros para embarcações até 17 metros, que ficam por 200 mil euros. O preço final varia sempre de acordo com os acabamentos e extras.

A aposta da Waterlily Boats é também dirigida para a internacionalização, sobretudo a Holanda, onde o barco conseguiu o seu primeiro registo fora de portas, e a Alemanha, “que tem mercado dentro de rios.”

A empresa está a despertar interesse pelos “preços bons, qualidade muito boa e uma nova maneira de abordagem destas construções em plataformas muito estáveis e facilmente manobráveis”, refere o responsável.

Fonte: Renascença

Pirelli usa tecnologia da F1 para andar depressa no mar

A produção de borracha para uso comercial e industrial vai muito além do fabrico de pneus. E empresas como a Pirelli usam esta experiência numa grande variedade de produtos. Incluindo barcos de recreio. Aliás, a Pirelli já tem alguma experiência nesta área, pois este é o seu terceiro modelo.

 O construtor italiano está a trabalhar há cerca de uma década com a Technorib, uma marca de embarcações de recreio, com esta parceria a dar origem à gama desportiva. Depois do 1100 e do 1400, vem aí o 1900, com uma estrutura feita de tubos de ar e um design semelhante ao padrão de um pneu de Fórmula 1.

Para assegurar a máxima performance, o resto da estrutura, incluindo a cabina, é feito de fibra de carbono para reduzir o peso ao mínimo possível, e os dois motores MAN debitam 800 cv, mais que suficiente para fazer o Tecnorib Pirelli 1900 atingir quase 100 km/h de velocidade máxima sobre as ondas. Vai ser apresentado este ano, ainda sob a forma de protótipo, no Festival de Iates de Cannes.

Fonte: Motor24

Em águas prósperas – milhares de jovens se beneficiaram com o Projeto Grael

Projeto Grael leva desenvolvimento esportivo e socioambiental para milhares de jovens

É muito importante que empresas e pessoas estejam atentas às necessidades do Brasil, em relação ao preparo para o futuro. A Lojas Americanas e a Americanas.com sempre contribuíram para fortalecer o País, e principalmente, para mantermos nossas riquezas sociais e ambientais. Uma das iniciativas da Lojas Americanas e da Americanas.com de maior sucesso é a parceria com o Projeto Grael, liderado pelos irmãos Lars e Torben Grael.

Campeões da vela e grande influenciadores de esportistas brasileiros, os irmãos Grael idealizaram o projeto há 18 anos, e ao longo dessas quase 2 décadas de historia, já ajudaram aproximadamente 16 mil jovens, oferecendo oportunidades educacionais e socioambientais.

São 3 os pilares que sustentam as ações da instituição. O programa Náutico, que promove a iniciação à prática esportiva, como natação, vela e canoagem havaiana. O programa Profissionalizante que prepara os jovens para o setor náutico, com aulas de marcenaria, fibra de vidro, eletrônica, carpintaria, mecânica e capotaria, para formar, como por exemplo, marinheiros.

E por fim, o programa Ambiental, que gera a interação entre as atividades náuticas, o uso da tecnologia, o resgate da cultura da maritimidade e o meio ambiente. Lojas Americanas e Americanas.com reforçam, por meio do seu investimento, o apoio ao esporte e ao desenvolvimento socioambiental, incentivando mais um projeto focado na inclusão, formação e democratização da prática esportiva.

Fonte: Istoé

Embarcação de 34 pés da Triton Yachts chega ao mercado brasileiro com valor promocional por tempo limitado

Após a sua primeira aparição em evento náutico brasileiro, em abril deste ano, as primeiras unidades da nova lancha Triton 340 chegam ao mercado com preços promocionais. Produzida pelo consagrado estaleiro Triton Yachts, a embarcação, que é uma atualização do modelo de 33 pés da marca, já tem atraído a atenção dos amantes da navegação. Entre as suas principais características destaque para a alta tecnologia, conforto em todos os ambientes, amplitude da praça de popa e das cabines, navegabilidade e a nova configuração do espaço gourmet.

“A Triton 340 é uma embarcação que alia desempenho com conforto, além de ter um tamanho bastante adequado para aproveitar momentos com amigos, com a família e para navegar na costa brasileira. Com o grande sucesso da Triton 330, o modelo ficou maior e passou por algumas adaptações e, com isso, acreditamos que a demanda de público aumentará ainda mais” explica um dos diretores da Triton Yachts Allan Cechelero.

Entre as atualizações da lancha está a modernização do seu design e a ampliação da plataforma de popa para desfrutar ainda mais deste espaço ao ar livre.

No que se refere a diferenciais do modelo com outros da marca, a Triton 340 tem o espaço gourmet integrado ao cockpit.  Destaque também para a área interior com cabines amplas, graças ao planejamento arquitetônico de aproveitamento de espaços. O banheiro com box para dividir a área de banho, é mais um diferencial. Algo bastante incomum nas embarcações deste porte.

Interessados poderão adquirir um dos modelos já finalizados com montagem básica e motorização parelha Mercury 200 Alta por R$ 429.900,00. Mais informações poderão ser obtidas através do email contato@waybrasil.com

Conheça a nova Triton 340

Com pouco mais de 10 metros de comprimento, a Triton 340 parece compacta por fora, mas surpreende com o aproveitamento dos espaços e com a sua versatilidade. Durante o dia, pode receber confortavelmente até doze convidados. Na área externa, conta com espaçoso cookpit que, além do posto de comando, integra o espaço gourmet com grill e pia, próximo à plataforma de popa. Espaço na proa para banhos de sol são mais atrativos.

Para pernoite, acomoda até quatro pessoas com duas amplas cabines, uma com cama grande e outra que pode se transformar em um sofá, uma área de estar. Cozinha é mais um ambiente que compõe a área interna da charmosa embarcação.

Outro grande diferencial do modelo é a possibilidade de customização de acordo com o perfil e as necessidades do cliente. Tecidos, acabamentos, equipamentos, pintura e eletrodomésticos são algumas das opções de personalização.

Sobre Triton Yachts

A Triton Yachts é produzida pelo consagrado estaleiro paranaense Way Brasil que está há mais de 30 anos no mercado, com modelos de 20 a 50 pés.

Fonte: Memória Motor

Barco de Fibra de Vidro de R$ 93 mil é a ‘coqueluche’ no 8º Torneio de Pesca

Embarcação, que custa em torno de R$ 93 mil, será sorteada neste sábado (13), com motor Yamaha F90, carreta ODNE e um Jack plate

 Prêmio principal da 8ª edição do Torneio de Pesca Esportiva de Três Lagoas, que acontece no Balneário Municipal desde a última quinta-feira (11), a embarcação Mega Bass Master é a verdadeira ‘coqueluche’ dos pescadores.O barco, que custa em torno de R$ 93 mil, será sorteado neste sábado (13), com motor Yamaha F90, carreta ODNE e um Jack plate. Competidor de Itapura/SP, Fernando Vitkusakas explicou o porquê do barco ser tão cobiçado pelos pescadores.

“Quem é pescador esportivo adora o Mega Bass. Ele é um barco de plataforma, muito rápido. Para você ter uma ideia, um ponto que você demoraria 40 minutos para chegar com uma embarcação de pequeno porte, você chega com ele em 10 minutos. Isso te dá muito ganho, muita agilidade. Com ele, você pode visitar, em um dia, mais pontos para pescar”, afirmou.

Para o presidente da Apetl (Associação de Pesca Esportiva de Três Lagoas), Claudio Kenzo, a possibilidade de ganhar um barco deste tipo é um ‘atrativo’ a mais para o torneio. “Esse barco é todo plataformado, de fibra de vidro. Para você ter uma ideia, só a embarcação, sem nada, custa cerca de R$ 40 mil. Aí tem o motor, que custa em torno de R$ 40 mil também… enfim, tem gente que viajou mais de 1.600 km para competir no nosso evento e tentar ganhar essa embarcação”, revelou.

As premiações do torneio – entre elas, o Mega Bass Master – serão sorteadas entre todas as equipes participantes do evento, exceto as que forem desclassificadas por algum artigo descrito no regulamento. Mais de 700 pescadores estão inscritos na 8ª edição do Torneio de Pesca Esportiva de Três Lagoas, que termina neste sábado (13).

Fonte: JP News

Envolve 350 HT

Jovem casal deixa vida em São Paulo para viajar de veleiro pelo mundo na companhia de seu cachorro

Muitos sonham em se tornar altos executivos, chefiar equipes, ter um ótimo salário e status social, mas nem todos fazem ideia de quanto trabalho, foco e dedicação são necessários para chegar tão longe. E nesse pacote inclui-se, ainda, a falta de tempo para se divertir e aproveitar a companhia da família e dos amigos enquanto se tem saúde e disposição. Em contrapartida, outro crescente grupo busca maior qualidade de vida e tenta desassociar o ser feliz do gastar excessivamente e acumular bens materiais.

E é nessa segunda categoria que se encaixa o casal paulista Beto Toledo, diretor geral de mídia de 35 anos, e Thaís Cañadó, coordenadora de estilo de 25 anos. Cansados deste círculo vicioso, onde é preciso trabalhar muito para poder gastar ainda mais, eles resolveram buscar uma vida simples, próxima à natureza e à essência humana de sobrevivência, e partirão para uma viagem pelo mundo em um veleiro na companhia de seu cachorro Google, da raça Golden Retriever.

Juntos há três anos, Beto e Thaís saíram novos da cidade de Sorocaba, no interior de São Paulo, para viver e trabalhar na capital paulista. Conforme foram construindo suas carreiras e crescendo nas renomadas empresas por onde passaram, se viram consumidos por uma intensa rotina profissional que os deixava com pouco tempo livre.

“Passamos a ter cada vez mais gastos para manter uma vida repleta de confortos superficiais, o que, consequentemente, nos obrigava a trabalhar ainda mais. Com isso vieram estresse, má alimentação e pouco sono. Percebemos que não havia mais sentido em continuar vendo a vida passar só pela janela do escritório ou de dentro do carro preso no engarrafamento e que mais cedo ou mais tarde perderíamos também a saúde”, conta Beto.

A ideia de morar em um veleiro e viajar pelo mundo surgiu no final de 2015, inspirados pelas histórias de outros jovens casais que têm se aventurado através dos continentes e oceanos em barcos, Kombis, trailers e bicicletas, se hospedando em hostels. “Nós queríamos uma casa móvel, com quintal infinito. O Beto desde pequeno adora tecnologia e também consertar coisas, então ele logo de cara se encantou pelo veleiro, que precisa de reparos diários e é muito tecnológico. E como eu sou apaixonada por praia e o Google ama nadar, foi perfeito para nós três”, comenta Thais.

O planejamento da viagem começou em 2016, com a compra do barco, seguida pela realização de algumas reformas e cursos de vela e vários finais de semana a bordo. Em janeiro de 2017, eles tornaram público o projeto e pediram demissão das empresas em que trabalham a tempo de fazer a transição de suas funções antes do embarque.

Para custear a viagem – estimada em R$ 4 mil mensais -, Beto e Thaís venderam bens como carro, apartamento, móveis e roupas, cortaram gastos desnecessários e investiram todo o valor em uma aplicação de renda fixa cuja rentabilidade irá mantê-los. “Como continuamos com as mesmas remunerações e mudamos nosso estilo de vida, passando a, por exemplo, fazer mais refeições em casa e consumir menos alimentos industrializados, nós economizamos bastante. Se tudo correr como o planejado, voltaremos com um patrimônio financeiro maior do que estamos indo”, diz Thaís.

A partida será do Guarujá, no litoral sul paulista, e, diferentemente de outras travessias conhecidas, como as da Família Schurmann, ela terá mais tempo em terra firme. As primeiras paradas do roteiro serão em Ilhabela, Ubatuba, Paraty, Angra dos Reis e Rio de Janeiro, margeando a costa rumo ao norte até chegar a Fernando de Noronha e, depois, ao Caribe. Em seguida velejarão para a Austrália, via canal do Panamá, e subirão para a Europa pelo canal de Suez. Por fim, cruzarão o Atlântico de volta ao Brasil.

O objetivo da viagem é conhecer o máximo de lugares gastando o mínimo possível, já que terão local garantido para preparar as refeições, tomar banho e dormir. “Partiremos sem data para voltar. Não pretendemos trabalhar nesse período, já que os rendimentos de nossa aplicação devem ser suficientes para cobrir as despesas, mas seguiremos com todas as possibilidades em aberto e não teremos problema em mudar de planos, caso seja necessário. Tanto podemos parar em algum lugar e nunca mais querer voltar quanto decidir acelerar a viagem e retornar”, explica Beto.

O casal irá registrar em vídeos o dia a dia da vida a bordo, as experiências do seu cachorro Google e os lugares que visitarem, sempre na perspectiva de quem chega à praia pelo mar, e não pela terra. Eles serão publicados semanalmente em seu canal Sailing Around The World, no YouTube.

Fonte: Boat Shopping